GESTÃO PARTICIPATIVA E DE RESULTADOS

Início > Notícias

Fique sabendo

29/01/2019 18:22:45
QUANTOS PACIENTES ATENDER POR TURNO

O cirurgião-dentista tem a prerrogativa de decidir quanto tempo deve dispor para atender um paciente, conforme os direitos fundamentais dos profissionais inscritos, segundo suas atribuições específicas, constantes no Art. 5o do Código de Ética Odontológica (Resolução CFO 118/2012):

VII - Decidir, em qualquer circunstância, levando em consideração sua experiência e capacidade profissional, o tempo a ser dedicado ao paciente ou periciado, evitando que o acúmulo de encargos, consultas, perícias ou outras avaliações venham prejudicar o exercício pleno da Odontologia.

I - Diagnosticar, planejar e executar tratamento, com liberdade de convicção, nos limites de suas atribuições, observados o estado atual da Ciência e sua dignidade profissional.

VI - Recusar qualquer disposição estatutária, regimental, de instituição pública ou privada, que limite a escolha dos meios a serem postos em prática para o estabelecimento do diagnóstico e para a execução do tratamento.

A maioria dos municípios indica ao cirurgião-dentista uma média de 8 a 10 pacientes por turno, na atenção básica, e 6 a 8 pacientes na atenção especializada.

Entretanto, o bom senso e a negociação devem ser o parâmetro para se estabelecer o número de pacientes a atender, já que se deve levar em consideração o tipo de especialidade, a complexidade do caso, a colaboração do paciente, as condições de trabalho e a habilidade do profissional, e, sobretudo, a responsabilidade do cirurgião-dentista pelo atendimento odontológico.

Portanto, não há porque se generalizar o número de paciente a atender, por turno de trabalho, afinal é o cirurgião-dentista que poderá responder e estar sujeito a sanções previstas em lei e devidamente aplicadas quando houver falhas no atendimento em razão de exiguidade do tempo de consulta.


Visitas: